Newsletter
Receba as nossas novidades na sua caixa de correio.


Descarregue aqui o catálogo da editora em formato pdf.
10%
História da Cultura em Portugal, vol. IV
O Humanismo em Portugal

Páginas: 224
Ano de edição: 2012
ISBN: 978-989-616-499-7
Capa: Brochado (capa mole)
14 €
12,60 €

Quantidade:
Sinopse

A definição de Humanismo percorre vários campos: filosófico, religioso, social, estético. O conhecimento crítico das fontes textuais, a partir de línguas e ciências restauradas, embate contra a Escolástica, que tão-só comentava, parafraseava, especulava, interpretava formalística e alegoricamente alguns corpora. Isso tem efeitos na revisão de Aristóteles, mas também na releitura do Novo Testamento, a partir de manuscritos gregos anteriores à Vulgata latina. Busca-se a pura mensagem evangélica alheia aos «comentários dos teólogos e toda uma massa de sobreposições dogmáticas e rituais, como o culto dos santos, as indulgências, os jejuns». A experiência de Cristo faz-se intimidade e «coerência pessoal entre as crenças e os actos», como defendia a Reforma. No social e no estético, porém, tudo fiava mais fino. O saber precederia o sangue; a tolerância irmanava povos, pacificados em Cristo, salvo se urgia guerrear o Turco; e as desigualdades eram aguareladas por, afinal, dependentes de senhores, antes de muitos se prenderem nas teias da Contra-Reforma.

Autor(es)
António José Saraiva (Leiria, 31 de Dezembro de 1917 — Lisboa, 17 de Março de 1993) foi professor e historiador de Literatura portuguesa.

Estudou na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde conheceu Óscar Lopes, co-autor da sua História da Literatura Portuguesa. Obteve o doutoramento em Filologia Românica, em 1942.
Exilou-se em França em 1960 e viveu posteriormente na Holanda, onde leccionou na Universidade de Amesterdão. Regressado a Portugal, após a Revolução dos Cravos, tornou-se professor catedrático da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Publicou uma vastíssima e importante bibliografia, considerada uma referência nos domínios da História da Literatura e da História da Cultura portuguesas, amadurecida quer na edição de obras e no estudo de autores individualizados (Camões, Correia Garção, Cristóvão Falcão, Almeida Garrett, Alexandre Herculano, Fernão Lopes, Fernão Mendes Pinto, Gil Vicente, Eça de Queirós, Oliveira Martins), quer através da publicação de obras de grande fôlego como a História da Cultura em Portugal ou, de parceria com Óscar Lopes, a História da Literatura Portuguesa.